Esta página utiliza cookies para melhorar a experiência de navegação, personalizar as aulas acadêmicas e desenvolver a investigação pedagógica. Se continuar consideramos que aceita a sua utilização. Aceito Política de cookies

A Fundação Practicum participa do IV Encontro Internacional de Reitores Universitários

Salamanca é o epicentro internacional da educação com o IV Encontro Internacional de Reitores Universitários e a Fundação Practicum se veste de gala para participar.  Nosso presidente, o Prof. Dr. Eduardo Hornos, é um dos mais de setecentos representantes acadêmicos e personalidades políticas e empresariais convidados para este simpósio, realizado na Universidade de Salamanca, sob o lema "Universidade, Sociedade e Futuro".

Madri, 21 de maio de 2018. A Fundação Practicum participa do debate Universia 2018, que acontece na Universidade de Salamanca entre os dias 20 e 22 de maio, coincidindo com a celebração do oitavo centenário do centro. Sob o lema "Universidade, Sociedade e Futuro", mais de setecentos especialistas de vinte e seis países se aprofundaram nas chaves para a universidade do presente e do futuro imediato. As conclusões do debate serão refletidas na 'Declaração de Salamanca', com o compromisso das autoridades e dos assistentes de reitores para que a academia avance em consonância com as necessidades da sociedade.

O IV Encontro Internacional dos Reitores da Universia foi inaugurado hoje, segunda-feira, 21 de maio, por Sua Majestade o Rei Don Felipe e o Presidente da República de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa. Eles foram acompanhados, por entre outros notáveis, pelo Secretário Geral da OCDE, Ángel Gurría, e pela presidente da Universia e do Banco Santander, Ana Botín, que na imagem aparece junto com o Prof. Dr. Eduardo Hornos, presidente da Fundação Practicum, e Héctor Masoero, presidente da Universidade Argentina da Empresa (UADE). O Prof. Dr. Hornos salientou que "serão duas jornadas dedicadas ao debate sobre a universidade no século XXI e também uma oportunidade para gerar acordos de cooperação".

O encontro ocorrerá em três eixos temáticos de interesse especial para o mundo acadêmico: "Formar e aprender em um mundo digital"; "Investigar na Universidade, um paradigma em revisão?" e "A contribuição da universidade para o desenvolvimento social e territorial". Entre os palestrantes, destacam-se nomes eminentes como: Pam Fredman, presidente da Associação Internacional de Universidades, María José Alonso, professora catedrática da Universidade de Santiago de Compostela e membro da Academia Nacional de Medicina dos EUA, e Anant Argawal, professor de Engenharia Elétrica e Ciência da Computação do MIT e CEO da edX Online.

O simpósio dará continuidade aos encontros do Rio de Janeiro (Brasil, 2014), Guadalajara (México, 2010) e Sevilha (Espanha, 2005) e conta com o apoio do Banco Santander, a empresa que mais investe no apoio à educação em todo o mundo, de acordo com o Relatório Varkey/UNESCO-Fortune 500. O microbiologista, pesquisador e professor da Universidade de Alicante, Francis Mojica, mundialmente conhecido por suas pesquisas genômica relacionadas aos mecanismos de imunidade em células procarióticas, dará a conferência de encerramento deste encontro, que terminará em 22 de maio com um ato presidido por Botín, acompanhado pelo Presidente do Governo da Espanha, Mariano Rajoy.

Promover a pesquisa
Uma pesquisa realizada com mais de nove mil universitários de dezenove países revela que mais da metade da comunidade universitária (56%) considera necessário melhorar tanto as instalações quanto os recursos destinados à pesquisa dentro da universidade, enquanto que 35% acreditam que a falta de fundos e financiamento são a principal barreira ao impulso ao trabalho de pesquisa. Por outro lado, um terço dos entrevistados acredita que o aprimoramento da dimensão de pesquisa deve ser uma das principais prioridades da universidade, à frente de outras questões, como a digitalização dos ensinamentos.

Para os entrevistados, um dos principais objetivos da universidade deve ser a promoção de tarefas de pesquisa, desenvolvimento e inovação. Um objetivo que, de acordo com 46% dos entrevistados, não é coberto satisfatoriamente. De fato, 61% dos entrevistados acreditam que sua universidade se concentra quase exclusivamente no ensino, 25% julgam a priorização da pesquisa como mínima e 21% acham que a universidade não lhes fornece bases suficientes para serem bons pesquisadores. Outro fato digno de nota é que 15% dos alunos de graduação planejam dedicar-se à pesquisa na universidade.

Script Connect
Centro de atendimento personalizado

Colocamos à sua disposição um serviço de atendimento personalizado, através do qual pode obter suporte técnico e ajuda, tanto para a navegação dentro da página como para a utilização do programa.

Perguntas frequentes